20 de Julho de 2007

RECEBI POR EMAIL, ESTE ESTUDO DE UM ECONOMISTA CHAMADO EUGÉNIO ROSA.

PELA IMPORTÂNCIA DO ASSUNTO, REPRODUZO-O PARCIALMENTE

 

NÃO HÁ RAZÃO PARA O NOVO AUMENTO DOS PREÇOS DOS COMBUSTIVEIS NEM PARA PREÇOS DO GÁS E DA ELECTRICIDADE EM PORTUGAL SUPERIORES AOS PREÇOS COMUNITÁRIOS. EM DOIS ANOS (2006 e 2007), A GALP E EDP OBTIVERAM 3.467,9  MILHÕES DE EUROS DE LUCROS

RESUMO DESTE ESTUDO

Os órgãos de informação divulgaram um novo aumento dos preços dos combustíveis. A justificação apresentada pelas empresas foi a habitual: subida do barril do petróleo no mercado internacional. No entanto, a verdade é outra. Segundo dados da Direcção Geral da Energia do Ministério da Economia, o preço médio do barril do petróleo, em euros, no 1º semestre de 2007 foi inferior ao do 1º semestre de 2006 em -11,2% e, durante o mesmo período, o preço médio da gasolina aumentou entre 1,3% e 2,4%, e o do gasóleo desceu apenas 0,8%. Desde Janeiro a Julho de 2007, os preços dos combustíveis já aumentaram em Portugal entre 12% (gasolina) e 8% (gasóleo). E com a desvalorização continua do dólar face ao euro (um euro vale cada vez mais dólares), o barril do petróleo torna-se mais barato para as empresas portuguesas pois as aquisições deste produto no mercado internacional são feitas em dólares, e os portugueses pagam os combustíveis em euros.

Em 2007, os preços pagos pelos portugueses pela electricidade e pelo gás de consumo doméstico são superiores ao da UE15. De acordo com dados do Eurostat, o preço médio sem impostos, ou seja, o que reverte na sua totalidade para as empresas e é a fonte dos seus lucros, da electricidade é em Portugal 17,8% superior ao preço médio da UE15, e o do gás em 8,5%.

Enquanto os preços dos combustíveis, electricidade e do gás são em Portugal, em 2007, superiores aos preços médios da UE15, as remunerações são muito mais baixas. Segundo o Eurostat, em  2006, a remuneração média anual na UE15 (35.857,7 euros) era superior à paga em Portugal (15.068,2 euros) em 2,4 vezes. Portugal foi o único país da UE15 em que se verificou em 2006 uma baixa da remuneração real, agravando a divergência neste campo. Esta situação – preços superiores e remunerações inferiores – contribui para agravar as condições de vida dos portugueses.

Entre 2002 e 2004, ou seja, em dois anos de governo do PSD/PP, os lucros da EDP e da GALP, duas empresas que foram privatizadas e são agora dominadas por capital estrangeiro, aumentaram 71,9% em percentagem e 323,4 milhões de milhões de euros em valor absoluto, enquanto nos dois anos de governo Sócrates (2004-2006) os lucros destas duas empresas cresceram, respectivamente, 119,3% e 922,6 milhões de euros. Portugal transformou-se num “maná” para as empresas de energia, à custa do agravamento das condições de vida dos portugueses.

Tudo isto acontece perante a passividade e mesmo a conivência de Sócrates e do seu ministro da Economia, e também da chamada autoridade da concorrência, pois nada têm feiro para por um travão ao escândalo que são os aumentos contínuos dos preços dos combustíveis e preços de electricidade e de gás superiores aos preços médios comunitários. Apesar de estarem a ser graves para os portugueses as consequências da privatização da EDP e da GALP, o governo de Sócrates prepara-se para entregar outra empresa pública do sector de energia, que é a REN, com elevados lucros (em 2006, atingiram 496,5 milhões de euros e, entre 2003 e 2006, os lucros desta empresa publica aumentaram 431%), ao grande capital privado, através da privatização já iniciada.

Na semana 9-14 de Julho de 2007, os media divulgaram um novo aumento dos combustíveis em Portugal. E a justificação apresentada pelas empresas foi a habitual: aumento do preço do barril do petróleo. No entanto, a verdade é outra como revelam dados recentes da Direcção Geral de Geologia e Energia do Ministério da Economia constantes do quadro seguinte.

QUADRO I – Variação dos preços médios dos combustíveis e do barril de petróleo relativos

ao 1ºSemestre de  2006 e ao 1ºSemestre de 2007

VARIAÇÃO DO PREÇO MEDIO DOS COMBUSTIVEIS 1ºSem.2006-1ºSem.2007      Euros-Litro

PERIODO

Gasolina sem chumbo  I.O.95

Gasolina s/ chumbo I.O.98

Gasolina sem chumbo I.O.98  Aditivada

Gasóleo Rodoviário

 

Gasóleo de aquecimento

1ºSem 2006

1,280

1,353

1,345

1,044

 

0,681

1º sem 2007

1,299

1,386

1,362

1,036

 

0,678

VARIAÇÃO %

+ 1,5%

+ 2,4%

+ 1,3%

- 0,8%

 

-0,4%

VARIAÇÃO DO PREÇO MEDIO DO BARRIL DE PETRÓLEO BRENT no 1ºSem.2006 e no 1ºSem.2007

PERIODO

Barril / Dólares

Cotação Dólares /Euro

Barril – Euros

1º Sem. 2006

65,688

1,257

52,258

1º Sem. 2007

63,262

1,364

46,380

VARIAÇÃO %

-3,7%

 

-11,2%

FONTE: Direcção Geral de Geologia e Energia – Ministério da Economia

O preço médio do barril do petróleo em dólares no 1º semestre de 2007 foi inferior ao do 1º semestre de 2006 em -3,7%. No entanto, como consequência da desvalorização do dólar em relação ao euro, a descida, em euros, ainda foi maior atingindo -11,2%. No entanto o preço médio da gasolina no 1º semestre de 2007 foi superior ao do 1º semestre de 2006 entre +1,3% e +2,4% , e o preço médio do gasóleo desceu apenas -0,8%. Por outro lado, de Dezembro de 2006 a 6 de Julho de 2007, o preço da gasolina já aumentou entre 11% e 11,9%, e o do gasóleo 7,7% E o governo e a autoridade da concorrência nada fazem para por um travão a este escândalo que está a penalizar fortemente os portugueses, e a dar elevados lucros às empresas.

Se se comparar a variação dos preços dos combustíveis em Portugal num período mais longo, com a variação do preço médio da  União Europeia conclui-se, nomeadamente depois da sua liberalização, que a subida em Portugal tem sido muito mais elevada, o que determinou que, apesar do preço médio do combustível em 1999 ser em Portugal inferior ao preço médio da U.E., em 2006 já se verificava o contrario, ou seja, o preço médio dos combustíveis em Portugal era já superior ao preço médio europeu. E isto era verdadeiro quer se considere os preços de combustíveis sem impostos, ou seja, aqueles que revertem na sua totalidade para as empresas e que são a fonte dos seus lucros, quer se considere os preços com impostos, ou seja, que incluem também os impostos que são receitas do Estado.

publicado por Portugal TV às 01:13
VÍDEOS
Televisões mostram José Sócrates a preparar comunicação ao País Bloqueio à Liberdade de Informação no CascaisShopping
Em Votação:
"Peso Pesado" poderá ser a salvação das audiências da SIC?
Sim, porque é um programa cativante que fideliza o público.
Não, porque o programa é um bocado entediante.

últ. comentários
Parabens pelo blog :)
Viva!Não sei se alguem ira ler este meu comentario...
Herman José na rtp! Finalmente! Eu adoro-o desde s...
Esta foi das melhores noticias da tv que recebi! e...
Meu caro, Alguém o obriga a vir cá? Eu só visito o...
Este blog parece (ou é) um blog sobre a sic....
"O MELHOR GENÉRICO" O PRIMEIRO CONCURSO DO SÉRIES ...
sinais de fogo
O único exemplo no meio desta historieta que realm...
Caro TVI Blog, apenas alguns esclarecimentos:1- La...
Número de Visitantes:
free hit counter
hit counter
RECORDE DE VISITANTES:
EU JORNALISTA atingiu o recorde de 1466 visitantes únicos no dia 7 de Setembro de 2009, o que corresponde a 2301 visualizações do blog num único dia. Obrigado pela preferência e... volte sempre! (O anterior recorde foi de 376 visitantes no dia 1 de Fevereiro de 2009.) portugaltv@sapo.pt
BEM-VINDOS AO BLOGUE "EU JORNALISTA"
Agora com novas funcionalidades: VIDEO e MÚSICA.
MÚSICA
Julho 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
14
16
17
21
22
24
26
28
29
30
31
Últimas Audiências:
AUDIÊNCIAS MAIO 2011: TVI: 25,9%, SIC: 24% RTP: 22,1%. AUDIÊNCIAS ABRIL 2011: TVI: 25,8%, SIC: 23,2% RTP: 21,5%. AUDIÊNCIAS MARÇO 2011: TVI: 26,3%, SIC: 23,5% RTP: 23%. AUDIÊNCIAS FEVEREIRO 2011: TVI: 26,9%, SIC: 22,9% RTP: 22,9%. AUDIÊNCIAS JANEIRO 2011: TVI: 28%, SIC: 24.1% RTP: 23.4%. AUDIÊNCIAS ANO 2010: TVI: 27,5%, RTP: 24,2%, SIC: 23,4% AUDIÊNCIAS DEZEMBRO 2010: TVI: 28.1%, RTP1: 24.5% SIC: 22.4%. AUDIÊNCIAS NOVEMBRO 2010: TVI: 27,3%, RTP1: 25,4% SIC: 23,1%. AUDIÊNCIAS JUNHO 2010: TVI: 26,5%, RTP1: 23,6% SIC: 22,4%. AUDIÊNCIAS JUNHO 2010: TVI: 27%, RTP1: 24,6% SIC: 22,3%. AUDIÊNCIAS MAIO 2010: TVI: 26,9%, RTP1: 23.7% SIC: 23.5%. AUDIÊNCIAS ABRIL 2010: TVI: 27.3%, SIC: 23.8%. RTP1: 23.8% AUDIÊNCIAS MARÇO 2010: TVI: 28.7%, SIC: 23.8%. RTP1: 23.5% AUDIÊNCIAS FEVEREIRO 2010: TVI: 27,5%, SIC: 25,3%. RTP1: 24,7% AUDIÊNCIAS JANEIRO 2010: TVI: 28,5%, SIC: 25,2%. RTP1: 24,5% AUDIÊNCIAS ANO 2009: TVI: 28,7%, RTP: 24%, SIC: 23,4% AUDIÊNCIAS DEZEMBRO 2009: TVI: 27,5%, RTP1: 24,9%, SIC: 24%. AUDIÊNCIAS NOVEMBRO 2009: TVI: 28,4%, RTP1: 24,6%, SIC: 22,6%. AUDIÊNCIAS OUTUBRO 2009: TVI: 28,5%, RTP1: 23,9%, SIC: 23,4%. AUDIÊNCIAS SETEMBRO 2009: TVI: 27,5%, RTP1: 24,4%, SIC: 22,4%. AUDIÊNCIAS AGOSTO 2009: TVI: 25,8%, RTP1: 24,2%, SIC: 22,4%. AUDIÊNCIAS JULHO 2009: TVI: 28%, SIC: 24,3%, RTP1: 21,9%. AUDIÊNCIAS JUNHO 2009: TVI: 29%, SIC: 23,5%, RTP1: 22,2%. AUDIÊNCIAS MAIO 2009: TVI: 31,5%, RTP1: 23,2%, SIC: 21,5%. AUDIÊNCIAS ABRIL 2009: TVI: 30,2%, RTP1: 23,2%, SIC: 22,4%. AUDIÊNCIAS MARÇO 2009: TVI: 29,6%, RTP1: 24,3%, SIC: 23,2%. AUDIÊNCIAS FEVEREIRO 2009: TVI: 28,7%, RTP1: 25.9%, SIC: 24,4%. AUDIÊNCIAS JANEIRO 2009: TVI: 28,9%, SIC: 25.9%, RTP1: 25.4%. AUDIÊNCIAS DEZEMBRO 2008: TVI: 29.8%, RTP1: 25.5%, SIC: 25.4%. AUDIÊNCIAS ANO 2008: TVI: 30.5%, SIC: 24.9%, RTP1: 23.8%.
pesquisar neste blog
 
Julho 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
14
16
17
21
22
24
26
28
29
30
31